• Guilhoché…

    ...sinto-me como um ornato composto de traços ondeados que se cruzam e entrelaçam com simetria; tentando me redescobrir e me reinventar sem perder a essência. Com essa probidade, quero, aqui, manter em mim esse vento de espírito jovem, essa curiosidade infantil em relação ás coisas, essa espécie de encantamento em relação ao ser humano. Quero crer que somos muito maiores e mais interessantes que as barreiras que o mundo impõe e que os limites que a vida oferece. Acredito na transformação dos sentimentos e no melhor de cada um. Quero que minha inspiração esteja sempre afiada; colocando em harmonia instinto, alma, criatividade, percepção e uma dose de crítica, que pra mim funciona como uma espécie de veneno destilado. De certa forma, viver, também é seguir essa premissa. O veneno que me refiro é aquele acompanhado de uma grande quantidade de conhecimento, que servirá para discernirmos opiniões. Enfim, se você quer se redescobrir e compartilhar instantes, detalhes e informações; venha fazer parte do meu mundo!
  • Categorias

  • Twitter Valéria

    • WWF- Brasil shar.es/15OaIJ 1 year ago
    • Mamãe coruja...to babando!! 6 years ago
    • Gente Boa; só passei pra contar que o bebê é MENINO!! hEHEHE!! Agora, faltam 3 meses e meio...hahaha 6 years ago
    • Estaremos no Politicom com o tema "Marketing político e redes sociais"...hehehe!! 6 years ago
    • "O carvalho não cresce à sombra do cipreste, e o cipreste não consegue crescer à sombra do carvalho"... 6 years ago
  • Face Valéria Amoris

PRATIQUE O DESAPEGO – PARTE II

Gente Boa;

Vocês me pediram uma missão quase impossível…rsrsrs. Como é difícil escrever sobre o desapego. Em todos os sentidos.

Falo por experiência própria. Vai fazer 4 anos que estou tentando de tudo pra encerrar um ciclo bem especifico da minha vida. É difícil e dolorido virar a página, dói na alma encerrar um capítulo…doe pra escrever, doe só de lembrar…

Por mais que queremos esquecer o passado, como é complicado. Afinal, o que somos hoje é muito do que vivemos anos atrás.

Nossas experiências, o modo de ver a vida, o fato de como encaramos uma determinada situação entre tantas outras coisas, derivam do que já vivemos, do que já passou.

Mas por que não conseguimos deixar totalmente no passado os momentos que se acabaram?!

Sábio, Fernando Pessoa, quando diz sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver”.

E como fazemos isto?! Minha vontade é de sair gritando aos quatro cantos do mundo: “EU NÃO CONSEGUI ESQUECER”. Não consegui por um ponto final; não consegui…

“Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará! Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante” (Fernando Pessoa).

Agora, uma coisa é fato: eu aprendi a viver sem ele. Já deu pra perceber que estou falando de relacionamento, ou seja, do meu ex marido. O qual, não tenho vergonha nenhuma em admitir que foi e será o grande amor da minha vida.

Eu tentei! Mudei três vezes de casa, morei em duas cidades diferentes, me casei novamente e já me separei – “lógico”. Me desfiz de roupas, limpei as gavetas, pintei as paredes do novo apartamento, joguei fora objetos….menos as fotos, estas ficam de presente pro meu filho. E também, foram 15 anos…Maravilhosos. Que não voltam jamais.

O relacionamento chegou ao fim e nós nunca mais voltaremos. Acreditamos nisto!

Mas não significa que o amor acabou. Como não vou amar a pessoa que me deu o Bem mais precioso da minha vida? Como não amar a pessoa que viveu comigo dos meus 16 anos aos 30? Anos de transformação, anos de aprendizagem, anos de amadurecimento, anos de profissionalização, anos de quebrar muito a cara; anos de aprender a levantar de todas as quedas, anos, após anos…acredito que foi a melhor pessoa que poderia ter vivido comigo! O que dividimos juntos foi único!! E continua…hoje compartilhamos um AMOR INCONDICIONAL….o Beni, nosso filho!!

minhaFoto10

 

Disso tudo o que eu aprendi:

maturidade

 

Fiz exatamente isto com o Nê, inverti a prioridade. Mesmo assim, precisa haver muita maturidade no ato, não sei se consigo ser tão madura ao ponto de dar literalmente um ponto final no sentimento. Sentimento, que merda!

E pra piorar quando penso nele lembro da música, da Banda Malta, Memórias…você conhece?!

Hoje eu vejo que não consigo entender 
O que houve entre nós 
Eu ainda consigo ouvir sua voz 
Me dizendo o que eu já sei 

Tudo tem um começo e um fim 
Eu vejo a dor em seu olhar 
E mesmo sem querer eu te deixo partir 
Pra que possa tentar ser feliz outra vez 
Recomeçar 

E quando eu me perco em suas memórias 
Vejo o espelho contando histórias 
Sei que é difícil de esquecer essa dor 
E quando penso no que vivemos 
Fecho os olhos, me perco no tempo 
Pra mim não acabou 

Tudo tem um começo e um fim 
Eu vejo a dor em seu olhar 
E mesmo sem querer eu te deixo partir 

E quando eu me perco em suas memórias 
Vejo o espelho contando histórias 
Sei que é difícil de esquecer essa dor 
E quando penso no que vivemos 
Fecho os olhos, me perco no tempo 
Pra mim 

Sei que você vai seguir, mas eu não vou desistir 
Eu espero que você se entregue nesse amor 
Sei que você vai seguir 
Mesmo com a dor vai lembrar de mim 

Hoje eu vejo que não consigo entender 
O que houve entre nós 

E quando eu me perco em suas memórias 
Vejo o espelho contando histórias 
Sei que é difícil de esquecer essa dor 
E quando penso no que vivemos 
Fecho os olhos, me perco no tempo 
Pra mim não acabou 

E quando eu me perco em suas memórias 
Vejo o espelho contando histórias 
Sei que é difícil de esquecer essa dor 
E quando penso no que vivemos 
Fecho os olhos, me perco no tempo 
Pra mim não acabou 

Pra mim não acabou

Mesmo assim recomeço todos os dias! Olho pro Beni e meu coração irradia Felicidade!! Revejo nos olhos dele “alguém que um dia eu quis só pra mim…”. Mas vejo, além disso…enxergo uma criança linda, abençoada, uma dádiva dos deuses!! Um ser tão inocente, e tão inteligente que me deixa em estado de plenitude. Olho pra ele e me sinto completa, amada, querida, me sinto Única!! Me sinto mãe!!

 

minhaFoto26

 

Quando eu fico me lembrando do passado é como um sonho que já acabou. Mas é bem como aquele dito popular “eu só dei valor depois que havia perdido”…então não devo ficar me remoendo pelo o que já chegou ao fim. Apenas tenho que guardar as boas recordações e continuar minha caminhada, uma outra jornada e quem sabe, talvez, mais uma outra cidade?! Por que não?! A vida não é um eterno recomeço?!

Recomecemos. Sempre!!

O desapego no dicionário consta assim:

de·sa·pe·go |ê|

substantivo masculino

  1. Facilidade em deixar aquilo a que se tinha apego.
  2. Indiferença, desinteresse.

Palavras relacionadas:

desapegadodesinteressedesapegardesapegamentodesprendimentodespegodesapropriação

.de·sa·pe·gar – Conjugar

verbo transitivo

  1. Despegar.
  2. Fazer perder a afeição a.

 verbo pronominal

  1. Perder a afeição a.
  2. Perder o interesse, o empenho por.
  3. Largar; soltar-se; desagarrar-se.

“desapego”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/desapego [consultado em 19-03-2015].

Até o presente momento consegui alcançar apenas o 5º item: 5. Largar; soltar-se; desagarrar-se.

Não consegui perder a afeição e tampouco ser indiferente. Talvez não consiga nunca…mas pra mim, já é um grande passo. Pode ser pequeno pra você, ou pra qualquer outra pessoa…mas a vida tem esses percalços. E particularmente, eu “tento ser uma pessoa melhor, não perfeita, apenas melhor que ontem”, (não sei de quem é esta frase, mas é ótima e propicia para a ocasião).

Dito isto, confesso que este ano dei uma guinada em outra área da minha vida. Tentando ser profissionalmente, um terço do que eu era antes, iniciei meu doutorado. Agora que o Beni está melhor da asma, posso voltar a pensar em mim. Posso voltar com tudo pro mercado de trabalho e, apesar da crise pela qual o país enfrenta, continuo firme em meus objetivos e se Deus quiser muito em breve estarei lecionando novamente ou atuando em alguma área jornalística! O que realmente importa agora é não perder a FÉ! Contar com a sorte, com os amigos, família sempre, e seguir….

….eu sei que a estrada é longa; contudo tenho o Beni ao meu lado, ele me dá força, traz alegria aos dias nebulosos e me faz rir….como é bom rir; como é bom viver com uma criança, como é bom brincar todos os dias!!

CIMG2786

 

 

brincar

Desde que o Beni nasceu tive que abrir mão da minha carreira profissional pra cuidar da saúde dele. Confesso: valeu a pena e faria tudo de novo!

Perdi muitas propostas de trabalho, ofertas irrecusáveis…mas era a vida do meu filho que estava em jogo. E com saúde não se brinca. Não desejo a ninguém ter em seus braços seu filho praticamente parando de respirar devido a uma crise asmática. É horrível.

Mas passou, como tudo passa. E o que me resta agora?!

RECOMEÇAR!!

O sentimento pelo Nê ganhou uma caixinha fechada a sete chaves em meu coração e, essa caixinha com nossa história ficará pra sempre guardada. Assim eu consigo seguir…

…quanto ao resto Deus providenciará!! Estou fazendo minha parte e como Ele nunca me abandonou, não será agora que me deixará na mão. Mesmo com o país em crise. Não existe crise pra Deus!

Por isso, Gente Boa, a dor de certa forma é necessária. As batalhas são importantes. Não interessa quem ganhou ou perdeu. O que importa é o que aprendemos nesta guerra e como saímos dela. Com certeza nosso coração, ou porque não dizer nossa alma, sai ferida, machucada, com cicatrizes profundas que só o tempo; o velho e bom tempo vai nos fortalecendo novamente para sermos felizes!

beni e eu

Enfim, depois de tudo que compartilhei aqui com você não creio que sou a pessoa mais indicada pra falar ou dizer como praticar o desapego. Por outro lado, estou aqui tentando.

Talvez, loucura seria dizer que eu consegui. Pra aqueles que me conhecem sabem que quando eu amo, sou fiel….amo de verdade. Amo as pessoas pelo que elas são. E depois, por mais que eu queira acreditar que o coração está na cabeça….poxa, estou neste mundo pra aprender, pra evoluir…e, ainda, sou muito imperfeita. Tenho tanto que crescer espiritualmente…

Conclusão:

aprendi

 

E você? Conseguiu desapegar? Ou, o que aprendeu com sua perca?

Beijos e até o próximo post.

 

ENCERRANDO CICLOS

Fala Gente Boa!! Quanto tempo, né?
Tantas coisas aconteceram durante minha ausência neste espaço que construí com tanto amor. Por esta razão, volto hoje para dividir com vocês minhas aventuras, minhas angustias e alegrias dos últimos meses, ou praticamente do último ano, em que eu quase não postei nada por aqui.

Sem dúvida este é o post mais difícil que me propus a escrever. Pelo título já dá pra ter uma idéia. Nem sei por onde começar, mas como todo contador de histórias que tal pelo inicio?

Algumas vezes já tinha escrito que desde que descobri que estava grávida minha vida deu vários giros de 360°. Em meio a tantas turbulências fiquei tão perdida, mas tão perdida que nem sei explicar como e quando comecei a me reencontrar.

O que posso afirmar que por mais que me sentia sozinha, perdida e confusa, sempre estive muito bem acompanhada e amparada por aqueles que tenho plena certeza que me amam e, como me amam, pois foi uma barra difícil e pesada tanto pra mim quanto pra eles.

Após o nascimento do Beni – que faz jus ao nome ABENÇOADO – um ser tão pequenininho e iluminado que trouxe mais união a família e principalmente aos parentes, que encontravam-se meios dispersos, nossas vidas foram tomadas por uma felicidade ímpar.

Eu particularmente descobri um AMOR que nem sabia que existia…confesso: “se eu soubesse que ser mãe é tão gratificante, teria providenciado o Beni a anos atrás”!!

Feliz e realizada por ser a mais nova mamãe de 2011, terminei meu mestrado este ano e agora além de bacharel em jornalismo sou Mestre em Comunicação Política!! Que chique, né?! Foi uma das conquistas mais importantes e difíceis da minha vida; após a maternidade, a qual fiquei morando sozinha em meu apartamento durante toda a gravidez e até o 1º ano de vida do Beni.

O Beni fez 1 aninho em maio. FIM DO CICLO de morar só ele, eu e a Sophia, nossa gatinha. Dei um novo rumo a nossas vidas.

Termino do mestrado no fim de junho. FIM DO CICLO de estudos. Agora rumo e planos para o doutorado!! Um novo projeto começará a ser planejado para 2013.

 

Defesa da dissertação de mestrado

 

Sair de um relacionamento de 15 anos não é nada fácil, ao contrário…a situação continua dolorida até hoje, claro que hoje possui um aspectos diferentes, mas não deixa de ser complicada. Principalmente porque o maior prejudicado é um garotinho lindo, uma “Vida Santa” – um dos vários apelidos que o Beni ganhou desde o nascimento. Contudo, me viro do avesso pra que ele não se sinta diferente diante dos outros garotos que tem papai e mamãe morando junto. Aqui, é difícil de dizer qualquer coisa que seja, pelo fato de ser a separação de algo que poderia ser pleno…mas nem tudo é como a gente quer; enfim, aqui o fato não deixa de ser triste porque foi a separação da família.

Contudo, FIM DO CICLO casamento, na verdade fim de um relacionamento de 15 anos. A página foi virada, esta demorou um pouco mais de dois anos….mas finalmente começou a ser reescrita. Diferente, totalmente oposta das páginas que já foram escritas em minha vida, mas está sendo extremamente divertido. No momento isto é mais que suficiente. Depois de tanta dor e tristeza, nada como alguém que te faz sorrir!!

Pois bem, estava diante da vida com tantos caminhos pra seguir que não sabia qual escolher. Que curvar virar…a direita ou a esquerda? Seguir em frente ou retroceder? Tirar forças sabe lá Deus de onde, ou abraçar o medo?

Olhar por Beni é como receber coragem! Os olhos grandes e profundos deste menino me faz crer que somos capazes de abraçar o mundo. Quando ele me beija é o mesmo que Deus estivesse acariciando seus filhos. Não há nada mais singelo, puro e verdadeiro neste mundo do que receber o carinho de uma criança tão inocente. O dom da vida, do nascimento, só poderia ter sido nos ofertado, mesmo, por alguém tão superior. Conceber um filho é algo que não há palavras pra explicar e o Amor é tão grande que chega doer…só o Pai Supremo, poderia presentear seus filhos tão pouco evoluídos, ainda, com algo tão maior; tão extraordinário; tão divino!!

Pelo Beni e para o bem dele, optei por caminhos que se ele não fizesse parte da minha vida, acredito que jamais faria algo parecido. Aluguei meu apartamento e me mudei para o interior. Interior mesmo…rsrsrs!!

Gente Boa, pra vocês terem uma idéia a cidade é tão pequena, mas tão pequena, que o comércio centraliza-se apenas em uma avenida. Uma avenida que tem mais cara de rua…kkkk.

A avenida chama-se São Francisco de Assis, consequentemente o Santo Padroeiro da cidade e a única igreja são de quem, quem??!! Acertou quem respondeu São Francisco…hahahaha!! Capela do Alto não tem nem 15 mil habitantes. Claro, que estou comparando com a minha terra natal. Nascida e criada em Santo André, onde há 800 mil habitantes.

Brincadeiras a parte sobre Capela, a mudança pra cá me fez parar de bater cartão toda semana no pediatra do Pronto Socorro. O Beni parou de ficar doente e ter febres que chegavam a 42 graus. Ou seja, estou totalmente fora de orbita, vivendo numa cidade que não tem nada haver comigo, pela falta de costume, falta de amizade (conheço só os vizinhos da chácara do lado), enfim, sinto falta da poluição….pode parecer loucura, mas tenho saudades do trânsito, de ficar 2 horas parada em um engarrafamento, da cerração do fim da tarde, das noites que mal conseguimos ver as estrelas por causa da poluição…sinto falta de gente…dos amigos queridos, sinto falta da minha vida…

É bem confuso e controverso, eu sei…talvez, porque na verdade eu sinto falta da vida que eu tinha, a qual não era adequada ao MEU BEM MAIS PRECIOSO. Na correria desenfreada da cidade que não dorme, assim como a Capital, no Grande ABC praticamente tudo funciona 24h por dia, inclusive as pessoas que vivem num ritmo alucinado, enlouquecedor, doentio e apaixonante…rsrs!! Porém, está cidade não é adequada ao meu pequenininho que merece qualidade de vida. Garanto, ele tem isso aqui! E como tem!

Só anda descalço, corre e brinca o dia todo. Toma banho na chuva e pisa na terra. Arranca manga verde do pé e fala que é gol. Aqui abro um parênteses: para aqueles que não sabem, tudo que é redondo o Beni compara a uma bola, mas ele não chama bola de bola e sim de gol.

Ele acorda e dorme sorrindo. Sorri com os olhos. Come de tudo e não dá um pingo de trabalho. Toda a família, amigos e aqueles que o conhecem se apaixonam por ele e meu garotinho demonstra ser a pessoa mais feliz deste mundo!!

Sendo assim, é impossível ser triste! É impossível dizer que fiz a escolha errada, apesar de ainda estar desempregada. Sendo que se eu estivesse morando no ABC já estaria trabalhando assim que terminei meu mestrado. Contudo, não iria criar e nem ver meu filhote crescer. Ele ia ter que ficar na escolinha das 7h às 19h e a noite iria ter que pagar uma babá pra busca-lo e ficar com ele até as 23h45 horário que costumava retornar pra casa. Ele iria ser educado na escola e por estranhos.

Então, após tantas mudanças repentinas e decisões que muitas vezes tomei sem pensar foi a melhor coisa que fiz, porque independente de tudo pensei primeiro no Beni. Ele foi meu foco, o bem estar dele e a felicidade foram meus objetivos. Muitas vezes me anulei…mas valeu a pena!!

Vale a pena acordar na casa dos meus pais, pessoas tão maravilhosas, mas que já não morávamos mais juntos a tantos anos…

….voltar pra casa dos pais depois de ter tido sua própria casa é uma das coisas mais difíceis a se fazer, por melhor que os pais sejam. É uma questão de amadurecimento, liberdade, costume…enfim….era necessário fazer esta mudança!!

Acordo todos os dias e vejo o Beni brincando com o vovô mais coruja do mundo. Meu pai que muitas vezes faz o papel de papai do Beni, também, afinal é ele quem está com o menino no dia a dia, ensina pra ele tudo…do trabalho na chácara, ao amor a terra, aos pássaros, o sabor das frutas, entre tantas coisas que marcam de maneira tão doce a infância da gente.

Minha mãe, ah! esta nem sei o que dizer…vó como ela há poucas, bem poucas!! Tem tanto amor por este neto que o sentimento chega extrapolar…rsrsrs!!

De tudo que contei a vocês, aprendi que “Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito”, William Shakespeare.

Dito isto, FIM DO CICLO. Claro que meu amado Beni será um ciclo eterno, mas por hora, o ciclo de garantir a felicidade e o bem estar dos primeiros anos de vida foram feitos com o maior cuidado e carinho do mundo. Vamos encerrar 2012 com chave de ouro. Porque consegui concluir várias missões pendentes da minha vida que automaticamente influenciavam diretamente na vida do meu gatinho.

Quanto ao caminho que diz respeito a vida do Beni, escolhi o melhor. Talvez, para o próximo ano, haja uma nova mudança, mudança esta que também pensei no meu gatinho primeiro. Se a mudança ocorrer, será visando o futuro dele e, agora o meu também, pois não posso me anular como profissional. Entretanto, só contarei se acontecer….e depois seria um novo post. Só peço que torçam por nós, já que a mudança, a qual espero é muito importante para o nosso amanhã!! Agora continuamos a seguir com fé e esperança!!

Ah! mas nem tudo foram momentos de decisões, tristezas, ou a vida levada muito a sério. Nem tinha porque ser assim, apesar de alguns episódios chatos terem marcado para sempre minha vida, quanto se é mãe, você tem a missão de apresentar só coisas boas a seu filho, deixa que as tristes o tempo se encarrega. A minha é fazer meu gatinho feliz e pra isso, vale tudo!!

Entretanto, após uma jornada bem cansativa, fui dar uma respirada sozinha. Sozinha, não. Com duas das mulheres da minha vida!! Deixei de ser apenas mãe por alguns dias, visto que antes eu só fazia isso, já que o Beni era muito bebê. Ele não cresceu…rsrsrs…mas podia ficar alguns dias sob responsabilidade dos avós pra mamãe voltar a ser mulher de novo!!

Fui conhecer o Rio de Janeiro. Isso aí. A cidade maravilhosa!! Fato: é tudo isso mesmo!! Amei o Rio e pretendo voltar!! Na viagem além da divina companhia de queridas e velhas amigas/irmãs Néia e Lúcia, tive a honra de fazer novas amizades, como conhecer a Cris, a Ana, a Marli e me tornar mais próxima do Guedes, noivo da Néia. Esta viagem foi extremamente necessária para eu ter gás pra tantos recomeços que surgiram com meu retorno a São Paulo.

Voltando pra casa, levei meu gatinho pra fazer sua primeira viagem de avião. Tendo o titio como patrocinador, desta vez, voamos pra Belo Horizonte, onde ficamos passeando por lá durante uns 12 dias +/-. Foi divino!! Tudo perfeito.

Meu tio sabe que amo tudo que é cultura, então me levou pra conhecer Inhotim, que fica em Brumadinho – depois faço um post especial contando tudo sobre o lugar e a cidade, mas pelas poucas fotos que seguem percebam que é tudo de bom!!

Retornei a Ouro Preto, cidade história importantíssima, que já conhecia, mas é sempre bom passar por lá. Depois desta vez estava apresentando-a ao meu filho!!

Demos um pulo em Mariana, que fica “grudadim” a Ouro Preto!!

E, ainda, fui conhecer Sete Lagoas, terra da cantora Paula Fernandes. A vista é linda!!

Ficamos na casa que meu tio tem em BH e, na maioria dos dias na chácara em Juatuba!! Amo Minas, amo o jeitinho dos mineiros, amo a culinária….enfim, amei tudo. Voltei pra Capela com um gostinho de quero mais!! Quem sabe no ano que vem, né tio?!

Além da viagem aérea, o Beni teve que conhecer o que é viajar de busão…kkkk. No fim de outubro peguei um ônibus e viajei 470km rumo a Mirandópolis, interior de S.Paulo, porém a cidade fica mais perto do Mato Grosso do que da capital. A maior parte dos meus parentes moram lá. Incluindo minha avó e os irmãos do meu pai.

Enfrentando, quase que diariamente um calor de 42°; mesmo tendo os miolos derretendo com o sol, nos divertimos muito!! Também sofremos, visto que no período de uma semana, encaramos 3 funerais e nos alegramos com o casamento do São e da Bruna (o casório foi o motivo da viagem). Nunca vivi uma situação dessas…lembra até o filme que tem um nome parecido. Eu sei que a viagem foi marcada por 1 casamento e 3 funerais. Que coisa, né? Tirando o lado da morte, rever e reencontrar toda a família pra festejar a união de um casal tão lindo foi emocionante e o nosso passei terminou comigo comemorando meu aniversário por lá.

Loquei uma chácara, reuni a família e brindei minhas 33 primaveras!!

Por tudo que aconteceu na minha vida desde que não registro nada por aqui, até hoje aprendi que: “A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é”, Victor Hugo.

Uffa!! Que post gigante, né?! Espero que não tenha sido tão cansativo e chato, desejo que tenham gostado!! Me perdoem por ter ficado tanto tempo ausente. Mas foi uma ausência necessária. Pretendo voltar a postar com mais freqüência. Não garanto que isto acontecerá este ano, devido ao Natal e ao Ano Novo que se aproximam; mas prometo que a partir de 2013 voltarei com pique total!!

Ah! hoje vou montar minha árvore de Natal. Já montou a sua?!

Espero te ver por aqui de novo e conto com os habituais e tão desejados comentários. Adoro quando me escrevem!! Acho que por hoje é isso.

Gente Boa, um beijo enorme no coração de cada um!!
Até o próximo post.

PARA BIA

 

Bia, o Beni não está com um pingo de sono aí aproveitei pra ler enquando ele mama, novamente. Detalhe: já passam das 4h da matina…haha!! Me deparei com José Saramago e lembrei-me de você.

“Escrever é traduzir. Mesmo quando estamos utilizando a nossa própria língua. Transportamos o que vemos e o que sentimos para um código convencional de signos, a escrita…

…e deixamos às circunstâncias aos acasos da comunicação e a responsabilidade de fazer chegar à inteligência do leitor, não tanto a integridade da experiência que nos propusemos transmitir,…

…mas uma sombra, ao menos, do que no fundo do nosso espírito sabemos bem ser intraduzível, por exemplo…

…a emoção pura de um encontro, o deslumbramento de uma descoberta, esse instante fugaz de silêncio anterior à palavra que vai ficar na memória como o rasto de um sonho que o tempo não apagará por completo”.

Carinhosamente,
Val

MAIS UMA PORCARIA POLÍTICA…

Gente Boa; recebi o e-mail que segue do meu grande amigo Luiz e decidi dividi-lo com vocês, postarei na íntegra. Antes de qualquer coisa, esclareço que não é minha opinião sobre o candidato Serra. Assim, como também não apoio a candidata Dilma. Ressalto o que já postei em outro relato: nessa eleição estamos escolhendo entre o “sujo e o mal lavado”. Por essa virtude, chega ser vergonhoso o que vou compartilhar com vocês; mas pela 1ª vez na vida – desde que tirei meu título vou anular meu voto. Independente do candidato que vier a ganhar a eleição de 2010, não desejo carregar essa culpa na consciência.

Vamos lá:

Serra tenta o golpe do Rojas

Vídeo SBT

Fonte: Twitter – #serrarojas e #bolinhadepapelfacts:

– Nunca antes na história desse país se viu uma bola de papel derrubar uma máscara tão perfeitamente

– O exame de “bolística” determinou que o projétil saiu de um chumaço de Maxprint, calibre A4.

– Segurança para o próximo debate. A polícia revistará militantes em busca de bolinhas de papel. Serra chegará de papamóvel

– Quando a criançada da 5ª série descobrir que tomar bolinha de papel garante 24h de repouso vai ser uma festa

– Folha de papel: R$, 0,04. Tomografia computadorizada: R$ 500,00. Assistir ao SBT desmascarar Serra: não tem preço!

– “Extra” “Extra” Polícia Federal estoura sede do PT e apreende 5 resmas de papel Chamequinho

– Serra pede ao TSE direito de arremessar uma bolinha de papel na cabeça da Dilma

– José Serra é hospitalizado após chuva de confetes

@Bolinha_dePapel: Gente, me ajudem!! Soninha que me fumar para queimar as provas!!

– Exclusivo!: Irã planeja enriquecer bolinhas de Papel

– Manchete da Veja: “Dilma Rouseff fez treinamento de lançamento de bolinha de papel na epoca da guerrilha”

– Pedra vence tesoura, tesoura vence papel, papel vence Serra, Serra vence o Oscar!

A meu ver esta é uma das piores eleições que presencio. Levando em consideração que não há proposta políticas apresentadas pelos candidatos. Não há projetos inovadores.

Assistimos de camarote NÃO uma campanha eleitoral com ideologias e melhorias para a Nação; mas SIM “dois galos de briga em um ringue de quinta”.

Ambos utilizam o mesmo discurso de “dar continuidade aos projetos do Lula” – o que é normal, visto que qualquer um faria o mesmo. Foi exatamente o que o Lula, também, fez quando sucedeu o Fernando Henrique Cardoso. Ele continuou o que era bom e melhorou o que era ruim…qual a novidade nisso??!

Mas voltando aos nossos digníssimos candidatos, além das briguinhas sem fundamento, eles andam pregando uma dialética retrógrada visando somente à família e a igreja. Até parece que os problemas do Brasil se resumem nisso. Como se pelo fato de ir a igreja significa que resido em um bairro onde há uma excelente rede de esgoto sem mencionar a ótima segurança oferecida pela polícia, ou seja, não temos problema algum com saneamento básico e com a segurança pública.

Só para analisar um pouco mais a situação vamos trabalhar algumas questões. Gente, falo hipoteticamente porque no Brasil se você tem família e vai à igreja nem perca tempo com o que vou escrever a seguir. É um mero devaneio da minha parte.

Então, hipoteticamente falando, devido eu ter uma base familiar solida como os dois candidatos a Presidência da República, significa que meus filhos recebem uma ótima educação na escola pública que freqüentam e toda nossa família possui um exímio atendimento hospitalar!!

Melhor, vamos além…por sermos uma família que bate cartão na igreja, somos cristãos que não possuem problemas algum, ao contrário, estamos longe da miséria; dos ladrões e traficantes de drogas; dos mercenários políticos; não enfrentamos o processo de conurbação que trazem problemas como transportes; água; esgotos; má uso do solo sem falar em reforma agrária; economia nacional e por aí vai….

Por esse motivo, entre tantos outros que se eu vier a postar aqui todos os problemas existentes no Brasil que deveriam receber atenção desses candidatos nessa campanha aparecerá uma lista interminável e taxativa; mas lembrem-se que falo hipoteticamente, beleza?!

Contudo, farei minhas suplicas não a “igreja”, como nossos ilustres candidatos. Irei direto ao Superior (não ao TSE, outro que deveria fechar as portas, melhor nem comentar), falo de algo divino, algo que a ciência não explica, em outras palavras, peço a Deus que ilumine os brasileiros e votem com o mínimo de consciência possível. Já peço o mínimo porque um povo que elegeu o Tiririca e o 2º mais votado foi o famoso Maluf como Senadores; fica claro que conscientização política não existe em nosso país. E se por ventura, os votos foram justamente uma forma de protesto, o que eu duvido, o povo continua mostrando o quanto precisa pastar nesse mundo. Infelizmente, a minoria tem que pagar pelos erros da maioria.

Entretanto, o que dizer de um país “democrático”, em que o voto é obrigatório. Bom, não há democracia nisso…

Pois bem, pra finalizar, analisem o material que postei como sendo apenas mais uma fonte de reflexão. Visto que estamos diante de dois indivíduos que na atual conjuntura fazem uso de um discurso contrário ao progresso perante tudo o que citei acima.

Por isso Gente Boa; esse acontecimento que trouxe pra vocês é apenas mais uma porcaria entre tantas outras que esses dois seres andam aprontando por aí.

Com isso só peço que antes de digitar o número do seu escolhido na urna e apertar o botãozinho verde pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; e quando achar que tomou a decisão pense mais um pouco. Combinado?!

¡HASTA LUEGO!

Gente Boa; estarei fora em um Congresso. Torçam por mim. Estou feliz pra caramba em participar deste evento!! Trarei notícias. Bjs e até a volta.

Informações no site do IX Politicom

FALTA-ME O AR QUE ME É TÃO CARO…

Sei que estou em falta com vocês. Há tempos que não deixo um post meu com uma história divertida ou triste, mas minha. De coração, ultimamente, anda acontecendo tantas coisas que chego a ficar atordoada com as situações. Não sei nem por onde começar. Por isso, prefiro não iniciar post algum em que mais tarde eu possa vir me arrepender. Só posso dizer que os “ciclos da vida” são complexos; difíceis; e por vezes doloridos, nem tudo é um mar de rosas – seria tão bom se fosse! Nos últimos dois meses me falta coragem pra decidir o caminho que devo seguir.

Medo e incertezas me atormentam e juro, não sei viver assim. A ansiedade me consome. Perco o sono e não ando vivendo…apenas existindo. Olho no espelho e não me vejo. Me procuro e não me acho. Pela 1ª vez na vida estou sendo incapaz de tomar uma decisão. Dói e como dói.

A culpa é de quem??! Minha; só minha. Porque estou sendo tola, estou permitindo “viver” assim na incerteza. Estou paralisada diante dos acontecimentos e não consigo dar o próximo passo. Por outro lado, descobri que tenho “um pouco de paciência”; algo que então nem sabia que existia.

Como em tudo; há uma única certeza. Vou aprender algo bom com essa dor, com essa situação tão conflitante. E acima de tudo vou sobreviver. Independente do que vir acontecer vou sobreviver…por mais ferida, magoada e chocada que eu esteja não permitirei ser fraca. Fracassada jamais. Na hora certa ressurgirei das cinzas, como a Fênix. Sempre foi assim, não sei por que cheguei a pensar que dessa vez seria diferente?!

Hoje, só posso dizer como me sinto: “falta-me o ar que me é tão caro”.

Porém, não fiquem preocupados. São coisas da vida. Num momento melhor retomo as rédeas e escrevo com alegria, mesmo o que por hora é triste. Afinal, tudo é uma questão de ótica. Existem diversas, basta eu encontrar a certa.

Volto em breve com meus relatos.
Apenas me desejem sorte.

Beijos gigantes a todos!!

TENTAR ESQUECER PRA RELAXAR…