• Guilhoché…

    ...sinto-me como um ornato composto de traços ondeados que se cruzam e entrelaçam com simetria; tentando me redescobrir e me reinventar sem perder a essência. Com essa probidade, quero, aqui, manter em mim esse vento de espírito jovem, essa curiosidade infantil em relação ás coisas, essa espécie de encantamento em relação ao ser humano. Quero crer que somos muito maiores e mais interessantes que as barreiras que o mundo impõe e que os limites que a vida oferece. Acredito na transformação dos sentimentos e no melhor de cada um. Quero que minha inspiração esteja sempre afiada; colocando em harmonia instinto, alma, criatividade, percepção e uma dose de crítica, que pra mim funciona como uma espécie de veneno destilado. De certa forma, viver, também é seguir essa premissa. O veneno que me refiro é aquele acompanhado de uma grande quantidade de conhecimento, que servirá para discernirmos opiniões. Enfim, se você quer se redescobrir e compartilhar instantes, detalhes e informações; venha fazer parte do meu mundo!
  • Categorias

  • Twitter Valéria

    • WWF- Brasil shar.es/15OaIJ 2 years ago
    • Mamãe coruja...to babando!! 7 years ago
    • Gente Boa; só passei pra contar que o bebê é MENINO!! hEHEHE!! Agora, faltam 3 meses e meio...hahaha 7 years ago
    • Estaremos no Politicom com o tema "Marketing político e redes sociais"...hehehe!! 8 years ago
    • "O carvalho não cresce à sombra do cipreste, e o cipreste não consegue crescer à sombra do carvalho"... 8 years ago
  • Face Valéria Amoris

  • Anúncios

MAIS UMA PORCARIA POLÍTICA…

Gente Boa; recebi o e-mail que segue do meu grande amigo Luiz e decidi dividi-lo com vocês, postarei na íntegra. Antes de qualquer coisa, esclareço que não é minha opinião sobre o candidato Serra. Assim, como também não apoio a candidata Dilma. Ressalto o que já postei em outro relato: nessa eleição estamos escolhendo entre o “sujo e o mal lavado”. Por essa virtude, chega ser vergonhoso o que vou compartilhar com vocês; mas pela 1ª vez na vida – desde que tirei meu título vou anular meu voto. Independente do candidato que vier a ganhar a eleição de 2010, não desejo carregar essa culpa na consciência.

Vamos lá:

Serra tenta o golpe do Rojas

Vídeo SBT

Fonte: Twitter – #serrarojas e #bolinhadepapelfacts:

– Nunca antes na história desse país se viu uma bola de papel derrubar uma máscara tão perfeitamente

– O exame de “bolística” determinou que o projétil saiu de um chumaço de Maxprint, calibre A4.

– Segurança para o próximo debate. A polícia revistará militantes em busca de bolinhas de papel. Serra chegará de papamóvel

– Quando a criançada da 5ª série descobrir que tomar bolinha de papel garante 24h de repouso vai ser uma festa

– Folha de papel: R$, 0,04. Tomografia computadorizada: R$ 500,00. Assistir ao SBT desmascarar Serra: não tem preço!

– “Extra” “Extra” Polícia Federal estoura sede do PT e apreende 5 resmas de papel Chamequinho

– Serra pede ao TSE direito de arremessar uma bolinha de papel na cabeça da Dilma

– José Serra é hospitalizado após chuva de confetes

@Bolinha_dePapel: Gente, me ajudem!! Soninha que me fumar para queimar as provas!!

– Exclusivo!: Irã planeja enriquecer bolinhas de Papel

– Manchete da Veja: “Dilma Rouseff fez treinamento de lançamento de bolinha de papel na epoca da guerrilha”

– Pedra vence tesoura, tesoura vence papel, papel vence Serra, Serra vence o Oscar!

A meu ver esta é uma das piores eleições que presencio. Levando em consideração que não há proposta políticas apresentadas pelos candidatos. Não há projetos inovadores.

Assistimos de camarote NÃO uma campanha eleitoral com ideologias e melhorias para a Nação; mas SIM “dois galos de briga em um ringue de quinta”.

Ambos utilizam o mesmo discurso de “dar continuidade aos projetos do Lula” – o que é normal, visto que qualquer um faria o mesmo. Foi exatamente o que o Lula, também, fez quando sucedeu o Fernando Henrique Cardoso. Ele continuou o que era bom e melhorou o que era ruim…qual a novidade nisso??!

Mas voltando aos nossos digníssimos candidatos, além das briguinhas sem fundamento, eles andam pregando uma dialética retrógrada visando somente à família e a igreja. Até parece que os problemas do Brasil se resumem nisso. Como se pelo fato de ir a igreja significa que resido em um bairro onde há uma excelente rede de esgoto sem mencionar a ótima segurança oferecida pela polícia, ou seja, não temos problema algum com saneamento básico e com a segurança pública.

Só para analisar um pouco mais a situação vamos trabalhar algumas questões. Gente, falo hipoteticamente porque no Brasil se você tem família e vai à igreja nem perca tempo com o que vou escrever a seguir. É um mero devaneio da minha parte.

Então, hipoteticamente falando, devido eu ter uma base familiar solida como os dois candidatos a Presidência da República, significa que meus filhos recebem uma ótima educação na escola pública que freqüentam e toda nossa família possui um exímio atendimento hospitalar!!

Melhor, vamos além…por sermos uma família que bate cartão na igreja, somos cristãos que não possuem problemas algum, ao contrário, estamos longe da miséria; dos ladrões e traficantes de drogas; dos mercenários políticos; não enfrentamos o processo de conurbação que trazem problemas como transportes; água; esgotos; má uso do solo sem falar em reforma agrária; economia nacional e por aí vai….

Por esse motivo, entre tantos outros que se eu vier a postar aqui todos os problemas existentes no Brasil que deveriam receber atenção desses candidatos nessa campanha aparecerá uma lista interminável e taxativa; mas lembrem-se que falo hipoteticamente, beleza?!

Contudo, farei minhas suplicas não a “igreja”, como nossos ilustres candidatos. Irei direto ao Superior (não ao TSE, outro que deveria fechar as portas, melhor nem comentar), falo de algo divino, algo que a ciência não explica, em outras palavras, peço a Deus que ilumine os brasileiros e votem com o mínimo de consciência possível. Já peço o mínimo porque um povo que elegeu o Tiririca e o 2º mais votado foi o famoso Maluf como Senadores; fica claro que conscientização política não existe em nosso país. E se por ventura, os votos foram justamente uma forma de protesto, o que eu duvido, o povo continua mostrando o quanto precisa pastar nesse mundo. Infelizmente, a minoria tem que pagar pelos erros da maioria.

Entretanto, o que dizer de um país “democrático”, em que o voto é obrigatório. Bom, não há democracia nisso…

Pois bem, pra finalizar, analisem o material que postei como sendo apenas mais uma fonte de reflexão. Visto que estamos diante de dois indivíduos que na atual conjuntura fazem uso de um discurso contrário ao progresso perante tudo o que citei acima.

Por isso Gente Boa; esse acontecimento que trouxe pra vocês é apenas mais uma porcaria entre tantas outras que esses dois seres andam aprontando por aí.

Com isso só peço que antes de digitar o número do seu escolhido na urna e apertar o botãozinho verde pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; pense; e quando achar que tomou a decisão pense mais um pouco. Combinado?!

Anúncios

¡HASTA LUEGO!

Gente Boa; estarei fora em um Congresso. Torçam por mim. Estou feliz pra caramba em participar deste evento!! Trarei notícias. Bjs e até a volta.

Informações no site do IX Politicom

OCUPADA COM OS ESTUDOS

13 DE MAIO É DENÚNCIA, MAS NÃO PRECISA TER MEDO

DEMENTIUS MAGNANIS

E vamos nós de novo e novamente no engodo do Magnoli e, quando o assunto é esse não poderia haver pessoa melhor pra escrever sobre esse individuo do que meu amigo e advogado, Helton Fesan, para os íntimos o Queridão. Afinal, o Queridão tem um olhar de águia pra capturar a alma dos ignorantes raciais.

Menciono isso, porque quando o Queridão postou PARA VEJA E DEMÉTRIO: “HITLER” E “MALCON X” SÃO FARINHA DO MESMO SACO, ele começou com uma frase divina: “Já cansamos de corrigir e alertar, mas nunca é demais, visto que Demétrio não cansa de errar (propositalmente?)”. Essa resposta fica para reflexão. Porém, para um bom entendedor é suficiente. Afinal, o “cara” é um saco, mas tem visibilidade na mídia, então todos aqueles que dão o sangue pra ensinar sobre a verdadeira cultura afro brasileira, literalmente, só se ferram.

Por isso, deixo um outro comentário reflexivo que por sinal foi o mesmo que encerrei meu post sobre Políticas de Cotas: “é preciso entender que a desigualdade no Brasil tem cor, nome e história. Esse não é um problema dos negros no Brasil, mas sim um problema do Brasil, que é de negros, brancos, amarelos, cor-de-rosa, laranja e outros mais. Um povo sem memória é uma sociedade sem história. E sem uma história que resgate as suas raízes, uma comunidade é como alguém sem passado, sem tradição e, portanto, sem identidade e rumo”. Entenda como quiser, mas sinto-me aliviada e menos indignada.

Depois do meu desabafo, segue relato que o Queridão postou ontem (13) em seu blog, Universo Fesânico. Espero que goste, pois eu amei o post, por isso estou dividindo com você o nosso “veneno destilado”, no melhor sentido, claro!!

Ah! se puder, entre em todos os links lendo com atenção, só assim entenderá melhor o motivo do nosso desabafo cultural e ideológico.

Boa leitura a todos!!

Texto: Helton Fesan

No mundo real precisamos conviver com a ignorância disfarçada de intelectual, a saber, Dementio, digo, Demétrio Magnoli.

Neste 13 de Maio, pego carona na irritante ladainha de revanchismo e ódio racial deste senhor. Ensinar história e cultura afro brasileira e africana na cabecinha de coronel do pseudo pensador da igualdade é ensinar o ódio racial.

Imagino a indignação de professores sérios que lutam pela implementação da lei 10.639 de 2003 como é conhecida, nas escolas públicas. Como uma da qual fui aluno, doutora, e que engasgou no café da manhã ao ler os desmandos ridículos da opinião deste senhor no Estadão. Enviou-me a matéria na integra.

O ideal para ele seria recontar nas escolas a farsa da imaculada salvadora Princesa Isabel, uma espécie de “nossa senhora do povo preto”. Aliás, o citado José do Patrocínio em sua matéria de hoje no Estadão foi adepto do Isabelismo e fundou uma espécie de guarda negra para lutar contra a república. Mas isto é outra história.

Senhor Demétrio, 13 de maio não libertou os escravos, pois estes já eram quase todos libertos pela luta abolicionista que deu-se essencialmente com os quilombolas. O resto foi política e politicagem para dar nome de rua para outros filhos de coronéis. Alguns sinceros, outros nem tanto.
13 de maio libertou sim, o estado brasileiro de arcar com o déficit social causado pelo insano sistema escravista.

Donos de escravos falidos, temendo terem que arcar com o custo da mantença de suas propriedades (os negros), já libertavam espontaneamente seus escravos ou os vendiam para o ofício da mendicância. Mas isto também é outra história.

Pensando bem, existem mesmo duas histórias: Uma de quem nunca teve e agora quer ter. Outra de quem sempre teve e não quer perder.
É o típico caso de pretensão resistida, mas, para a informação de pensadores e geógrafos temerosos, saibam que a população brasileira é civilizada e sabe resolver seus conflitos com diálogos.

Não há porque se preocupar com uma explosão violenta em escolas, mesmo porque, até os nossos racistas sempre foram extremamente cordiais.

DOIDAS E SANTAS

A quem interessar, indico este livro da escritora Martha Medeiros, nele encontrará 100 crônicas, sobre alegrias e desilusões; o prazer do afeto entre outros assuntos que mexem com as mulheres e de alguma forma refletem nos homens..rsrs!! Segue um trecho do livro que cá entre nós é ÓTIMO, acho que como tudo que ela escreve. Ainda, não posso generalizar porque não consegui ler tudo, mas aos poucos chego lá!! Espero que goste.

Leia, reflita e divirta-se também, por que não?! Vamos a leitura:

“Estou no começo do meu desespero/e só vejo dois caminhos:/ou viro doida ou santa”. São versos de Adélia Prado, retirados do poema A Serenata. Narra a inquietude de uma mulher que imagina que mais cedo o ou mais tarde um homem virá arrebatá-la, logo ela que está envelhecendo e está tomada pela indecisão – não sabe como receber um novo amor não dispondo mais de juventude. E encerra: “De que modo vou abrir a janela, se não for doida? Como a fecharei, se não for santa?”.

Adélia é uma poeta danada de boa. E perspicaz. Como pode uma mulher buscar uma definição exata para si mesma estando em plena meia-idade, depois de já ter trilhado uma longa estrada onde encontrou alegrias e desilusões, e tendo ainda mais estrada pela frente? Se ela tiver coragem de passar por mais alegrias e desilusões – e a gente sabe como as desilusões devastam – terá que ser meio doida. Se preferir se abster de emoções fortes e apaziguar seu coração, então a santidade é a opção. Eu nem preciso dizer o que penso sobre isso, preciso?

Mas vamos lá. Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe???

Nem ela, caríssimos, nem ela.

Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais.

Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do).

Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar “the big one”, aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio-pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.

Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascina a todos.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

UM DIA DE FOLGA

Ontem fiz uma prova daquelas. Foram 4h escrevendo sem parar num calor de 33º. Na sala só tinha 2 ventiladores, então já imagina que todos, sem excessão, pingavam suor. Mas como aqui não para de chover; mesmo com a pressão da prova, minha pressão baixa por causa do calor…aquele sol quente irradiou energia e felicidade a todos. Independente do resultado, valeu a pena!! Hoje, após meses estudando sem parar vou tirar um dia de folga. Melhor que nada, né?! rsrs.

Garfield

Porém, como uma boa brasileira, vou fazer uma pequena viagem. Isso mesmo. Tá pensando que no meu único dia de descanso vou ficar em casa?! Na verdade você quase acertou; mas hoje o sol promete novamente, graças a Deus!!

a mídia e a modernidade Vou me deliciar nos jardins do condomínio, tomando um solzinho pra revigorar as energias, acompanhada de um gostoso suco geladinho e, claro viajando com John Thompson, em A mídia e a modernidade: uma teoria social da mídia. Viu, essa é uma viagem curta. Um bate e volta, afinal esse livro só tem 228 páginas!! Pena que não vou fazer igual ao Garfield…rsrs. Adoraria lê-lo em frente ao mar; mas tá ótimo desse jeito!! Além disso, também, conto com a presença da Shopia, minha gatinha.

Desejo um ótimo dia ensolarado a todos e uma excelente leitura pra mim!! Hehe!! Viva eu!!

PAUSA PRO CAFÉ

cafezinho2 O cheiro, o sabor e a cafeína são um dos grandes prazeres da minha vida. Quando paro de absorver as palavras do livro já sei que tá na hora de fazer uma pausa. Minha mente GRITA: CAFÉ!!

Pode até ser um péssimo hábito, mas a cafeína é minha energia. Nos últimos dias então…melhor nem comentar…rsrs

Devido a esse momento de descanso merecido. Seguem algumas dicas, porém já vou logo avisando que sou prática e, apesar de até querer, só tomo café na padoca. Tenho preguiça de fazer em casa e só tenho café solúvel…aff!! Ninguém merece, né?! kkk. A Maira que o diga..hahaha!!

VAMOS ÀS RECEITAS:

FRAPPÉ
frappe Meu favorito e um dos mais saborosos e fáceis de fazer, na minha opinião, certo?! Ressalto que até eu consigo…mas, “prefiro evitar a fadiga”..kkkk

Ingredientes para um copo
1) 1 bola de sorvete de creme;
2) 1 xícara de café gelado preparado normalmente, sem açúcar;
3) 1 xícara de leite gelado.

Como preparar
Bata todos os ingredientes no liquidificador. Para decorar basta usar calda de chocolate no fundo do copo antes de servir.

 

 

FRAPPINO                                                                                                                                       Uma opção sem o sorvete. Esse, também, vai bem a qualquer hora!!

Ingredientes para um copo
1) 1 expresso gelado;
2) 1 dl de leite frio;
3) 5 g de açúcar;
4) 4 cubos de gelo;
5) 3 cl de licor de café “Irish Cream”;
6) Natas batidas;
7) Cobertura de café ou chocolate líquido.

Como preparar
Para fazer o batido, junte o expresso, os cubos de gelo, o açúcar, o licor de café e o leite e misture no liquidificador.Verta a bebida num copo e decore com as natas batidas e a cobertura de café.

CAPPUCCINO                                                                                                                                  cappuccino_ Este que estou bebendo agora. É composto por 1/3 de expresso, leite quente e leite vaporizado a coroar a chávena. Sobre o Cappuccino é polvilhado um pouco de cacau em pó. Uma delícia!! Aceita?!

Ingredientes para um copo
1) 1dl de leite;
2) Café em grão;
3) Cacau em pó;
4) Açúcar (a gosto);
5) Chávena para Cappuccino (aprox. 140 ml).

Como preparar
Aqueça e vaporize o leite: para começar, utilize apenas um pouco de ar – apenas aqueça o leite. Depois, quando utilizar mais ar, o leite é transformado em espuma. Coloque a chávena debaixo da saída do café e tire o expresso.