• Guilhoché…

    ...sinto-me como um ornato composto de traços ondeados que se cruzam e entrelaçam com simetria; tentando me redescobrir e me reinventar sem perder a essência. Com essa probidade, quero, aqui, manter em mim esse vento de espírito jovem, essa curiosidade infantil em relação ás coisas, essa espécie de encantamento em relação ao ser humano. Quero crer que somos muito maiores e mais interessantes que as barreiras que o mundo impõe e que os limites que a vida oferece. Acredito na transformação dos sentimentos e no melhor de cada um. Quero que minha inspiração esteja sempre afiada; colocando em harmonia instinto, alma, criatividade, percepção e uma dose de crítica, que pra mim funciona como uma espécie de veneno destilado. De certa forma, viver, também é seguir essa premissa. O veneno que me refiro é aquele acompanhado de uma grande quantidade de conhecimento, que servirá para discernirmos opiniões. Enfim, se você quer se redescobrir e compartilhar instantes, detalhes e informações; venha fazer parte do meu mundo!
  • Categorias

  • Twitter Valéria

    • WWF- Brasil shar.es/15OaIJ 1 year ago
    • Mamãe coruja...to babando!! 6 years ago
    • Gente Boa; só passei pra contar que o bebê é MENINO!! hEHEHE!! Agora, faltam 3 meses e meio...hahaha 6 years ago
    • Estaremos no Politicom com o tema "Marketing político e redes sociais"...hehehe!! 6 years ago
    • "O carvalho não cresce à sombra do cipreste, e o cipreste não consegue crescer à sombra do carvalho"... 6 years ago
  • Face Valéria Amoris

VOLTEI!!!!

Oi Gente Boa!!

Quanto tempo, né?! Mas agora voltei pra ficar. Tenho tantas novidades que desejo compartilhar com vocês!!

Mas daqui a pouco eu as publico porque em primeiro lugar, vou atender os pedidos dos leitores que solicitaram pra escrever mais sobre o “Pratique o desapego”.

Poxa, gente….como é difícil.

Enfim, estou escrevendo e logo ponho no ar. Enquanto isto deixo uma frase para reflexão!!

Espero contar com os comentários de sempre e, os novos sempre são muito bem vindos!!

Bjs;

maturidade

 

MAIS UMA DECEPÇÃO

Olá Gente Boa!!

Hoje passei só pra dividir uma decepção muito grande. Prometo que no próximo post respondo os comentários de Eduardo e Marga que carinhosamente me escreveram, alimentando-me a alma!!

Acredito que o que vou dizer agora, já escrevi outras vezes…mas, nem creio que está acontecendo de novo. Sinto que ganhei na loteria do azar!! Em outras palavras, o ser humano tem uma capacidade surpreendente de nos presentear com coisas ruins, muito ruins…

Aos meus seguidores, perdoem-me pelo desabafo, mas precisava dividir com vocês. Até o próximo post que acredito que será muito divertido e por que não FELIZ??!!

Imagem

“A alma resiste muito mais facilmente às mais vivas dores do que à tristeza prolongada”, Jean-Jacques Rousseau.

ENCERRANDO CICLOS

Fala Gente Boa!! Quanto tempo, né?
Tantas coisas aconteceram durante minha ausência neste espaço que construí com tanto amor. Por esta razão, volto hoje para dividir com vocês minhas aventuras, minhas angustias e alegrias dos últimos meses, ou praticamente do último ano, em que eu quase não postei nada por aqui.

Sem dúvida este é o post mais difícil que me propus a escrever. Pelo título já dá pra ter uma idéia. Nem sei por onde começar, mas como todo contador de histórias que tal pelo inicio?

Algumas vezes já tinha escrito que desde que descobri que estava grávida minha vida deu vários giros de 360°. Em meio a tantas turbulências fiquei tão perdida, mas tão perdida que nem sei explicar como e quando comecei a me reencontrar.

O que posso afirmar que por mais que me sentia sozinha, perdida e confusa, sempre estive muito bem acompanhada e amparada por aqueles que tenho plena certeza que me amam e, como me amam, pois foi uma barra difícil e pesada tanto pra mim quanto pra eles.

Após o nascimento do Beni – que faz jus ao nome ABENÇOADO – um ser tão pequenininho e iluminado que trouxe mais união a família e principalmente aos parentes, que encontravam-se meios dispersos, nossas vidas foram tomadas por uma felicidade ímpar.

Eu particularmente descobri um AMOR que nem sabia que existia…confesso: “se eu soubesse que ser mãe é tão gratificante, teria providenciado o Beni a anos atrás”!!

Feliz e realizada por ser a mais nova mamãe de 2011, terminei meu mestrado este ano e agora além de bacharel em jornalismo sou Mestre em Comunicação Política!! Que chique, né?! Foi uma das conquistas mais importantes e difíceis da minha vida; após a maternidade, a qual fiquei morando sozinha em meu apartamento durante toda a gravidez e até o 1º ano de vida do Beni.

O Beni fez 1 aninho em maio. FIM DO CICLO de morar só ele, eu e a Sophia, nossa gatinha. Dei um novo rumo a nossas vidas.

Termino do mestrado no fim de junho. FIM DO CICLO de estudos. Agora rumo e planos para o doutorado!! Um novo projeto começará a ser planejado para 2013.

 

Defesa da dissertação de mestrado

 

Sair de um relacionamento de 15 anos não é nada fácil, ao contrário…a situação continua dolorida até hoje, claro que hoje possui um aspectos diferentes, mas não deixa de ser complicada. Principalmente porque o maior prejudicado é um garotinho lindo, uma “Vida Santa” – um dos vários apelidos que o Beni ganhou desde o nascimento. Contudo, me viro do avesso pra que ele não se sinta diferente diante dos outros garotos que tem papai e mamãe morando junto. Aqui, é difícil de dizer qualquer coisa que seja, pelo fato de ser a separação de algo que poderia ser pleno…mas nem tudo é como a gente quer; enfim, aqui o fato não deixa de ser triste porque foi a separação da família.

Contudo, FIM DO CICLO casamento, na verdade fim de um relacionamento de 15 anos. A página foi virada, esta demorou um pouco mais de dois anos….mas finalmente começou a ser reescrita. Diferente, totalmente oposta das páginas que já foram escritas em minha vida, mas está sendo extremamente divertido. No momento isto é mais que suficiente. Depois de tanta dor e tristeza, nada como alguém que te faz sorrir!!

Pois bem, estava diante da vida com tantos caminhos pra seguir que não sabia qual escolher. Que curvar virar…a direita ou a esquerda? Seguir em frente ou retroceder? Tirar forças sabe lá Deus de onde, ou abraçar o medo?

Olhar por Beni é como receber coragem! Os olhos grandes e profundos deste menino me faz crer que somos capazes de abraçar o mundo. Quando ele me beija é o mesmo que Deus estivesse acariciando seus filhos. Não há nada mais singelo, puro e verdadeiro neste mundo do que receber o carinho de uma criança tão inocente. O dom da vida, do nascimento, só poderia ter sido nos ofertado, mesmo, por alguém tão superior. Conceber um filho é algo que não há palavras pra explicar e o Amor é tão grande que chega doer…só o Pai Supremo, poderia presentear seus filhos tão pouco evoluídos, ainda, com algo tão maior; tão extraordinário; tão divino!!

Pelo Beni e para o bem dele, optei por caminhos que se ele não fizesse parte da minha vida, acredito que jamais faria algo parecido. Aluguei meu apartamento e me mudei para o interior. Interior mesmo…rsrsrs!!

Gente Boa, pra vocês terem uma idéia a cidade é tão pequena, mas tão pequena, que o comércio centraliza-se apenas em uma avenida. Uma avenida que tem mais cara de rua…kkkk.

A avenida chama-se São Francisco de Assis, consequentemente o Santo Padroeiro da cidade e a única igreja são de quem, quem??!! Acertou quem respondeu São Francisco…hahahaha!! Capela do Alto não tem nem 15 mil habitantes. Claro, que estou comparando com a minha terra natal. Nascida e criada em Santo André, onde há 800 mil habitantes.

Brincadeiras a parte sobre Capela, a mudança pra cá me fez parar de bater cartão toda semana no pediatra do Pronto Socorro. O Beni parou de ficar doente e ter febres que chegavam a 42 graus. Ou seja, estou totalmente fora de orbita, vivendo numa cidade que não tem nada haver comigo, pela falta de costume, falta de amizade (conheço só os vizinhos da chácara do lado), enfim, sinto falta da poluição….pode parecer loucura, mas tenho saudades do trânsito, de ficar 2 horas parada em um engarrafamento, da cerração do fim da tarde, das noites que mal conseguimos ver as estrelas por causa da poluição…sinto falta de gente…dos amigos queridos, sinto falta da minha vida…

É bem confuso e controverso, eu sei…talvez, porque na verdade eu sinto falta da vida que eu tinha, a qual não era adequada ao MEU BEM MAIS PRECIOSO. Na correria desenfreada da cidade que não dorme, assim como a Capital, no Grande ABC praticamente tudo funciona 24h por dia, inclusive as pessoas que vivem num ritmo alucinado, enlouquecedor, doentio e apaixonante…rsrs!! Porém, está cidade não é adequada ao meu pequenininho que merece qualidade de vida. Garanto, ele tem isso aqui! E como tem!

Só anda descalço, corre e brinca o dia todo. Toma banho na chuva e pisa na terra. Arranca manga verde do pé e fala que é gol. Aqui abro um parênteses: para aqueles que não sabem, tudo que é redondo o Beni compara a uma bola, mas ele não chama bola de bola e sim de gol.

Ele acorda e dorme sorrindo. Sorri com os olhos. Come de tudo e não dá um pingo de trabalho. Toda a família, amigos e aqueles que o conhecem se apaixonam por ele e meu garotinho demonstra ser a pessoa mais feliz deste mundo!!

Sendo assim, é impossível ser triste! É impossível dizer que fiz a escolha errada, apesar de ainda estar desempregada. Sendo que se eu estivesse morando no ABC já estaria trabalhando assim que terminei meu mestrado. Contudo, não iria criar e nem ver meu filhote crescer. Ele ia ter que ficar na escolinha das 7h às 19h e a noite iria ter que pagar uma babá pra busca-lo e ficar com ele até as 23h45 horário que costumava retornar pra casa. Ele iria ser educado na escola e por estranhos.

Então, após tantas mudanças repentinas e decisões que muitas vezes tomei sem pensar foi a melhor coisa que fiz, porque independente de tudo pensei primeiro no Beni. Ele foi meu foco, o bem estar dele e a felicidade foram meus objetivos. Muitas vezes me anulei…mas valeu a pena!!

Vale a pena acordar na casa dos meus pais, pessoas tão maravilhosas, mas que já não morávamos mais juntos a tantos anos…

….voltar pra casa dos pais depois de ter tido sua própria casa é uma das coisas mais difíceis a se fazer, por melhor que os pais sejam. É uma questão de amadurecimento, liberdade, costume…enfim….era necessário fazer esta mudança!!

Acordo todos os dias e vejo o Beni brincando com o vovô mais coruja do mundo. Meu pai que muitas vezes faz o papel de papai do Beni, também, afinal é ele quem está com o menino no dia a dia, ensina pra ele tudo…do trabalho na chácara, ao amor a terra, aos pássaros, o sabor das frutas, entre tantas coisas que marcam de maneira tão doce a infância da gente.

Minha mãe, ah! esta nem sei o que dizer…vó como ela há poucas, bem poucas!! Tem tanto amor por este neto que o sentimento chega extrapolar…rsrsrs!!

De tudo que contei a vocês, aprendi que “Não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito”, William Shakespeare.

Dito isto, FIM DO CICLO. Claro que meu amado Beni será um ciclo eterno, mas por hora, o ciclo de garantir a felicidade e o bem estar dos primeiros anos de vida foram feitos com o maior cuidado e carinho do mundo. Vamos encerrar 2012 com chave de ouro. Porque consegui concluir várias missões pendentes da minha vida que automaticamente influenciavam diretamente na vida do meu gatinho.

Quanto ao caminho que diz respeito a vida do Beni, escolhi o melhor. Talvez, para o próximo ano, haja uma nova mudança, mudança esta que também pensei no meu gatinho primeiro. Se a mudança ocorrer, será visando o futuro dele e, agora o meu também, pois não posso me anular como profissional. Entretanto, só contarei se acontecer….e depois seria um novo post. Só peço que torçam por nós, já que a mudança, a qual espero é muito importante para o nosso amanhã!! Agora continuamos a seguir com fé e esperança!!

Ah! mas nem tudo foram momentos de decisões, tristezas, ou a vida levada muito a sério. Nem tinha porque ser assim, apesar de alguns episódios chatos terem marcado para sempre minha vida, quanto se é mãe, você tem a missão de apresentar só coisas boas a seu filho, deixa que as tristes o tempo se encarrega. A minha é fazer meu gatinho feliz e pra isso, vale tudo!!

Entretanto, após uma jornada bem cansativa, fui dar uma respirada sozinha. Sozinha, não. Com duas das mulheres da minha vida!! Deixei de ser apenas mãe por alguns dias, visto que antes eu só fazia isso, já que o Beni era muito bebê. Ele não cresceu…rsrsrs…mas podia ficar alguns dias sob responsabilidade dos avós pra mamãe voltar a ser mulher de novo!!

Fui conhecer o Rio de Janeiro. Isso aí. A cidade maravilhosa!! Fato: é tudo isso mesmo!! Amei o Rio e pretendo voltar!! Na viagem além da divina companhia de queridas e velhas amigas/irmãs Néia e Lúcia, tive a honra de fazer novas amizades, como conhecer a Cris, a Ana, a Marli e me tornar mais próxima do Guedes, noivo da Néia. Esta viagem foi extremamente necessária para eu ter gás pra tantos recomeços que surgiram com meu retorno a São Paulo.

Voltando pra casa, levei meu gatinho pra fazer sua primeira viagem de avião. Tendo o titio como patrocinador, desta vez, voamos pra Belo Horizonte, onde ficamos passeando por lá durante uns 12 dias +/-. Foi divino!! Tudo perfeito.

Meu tio sabe que amo tudo que é cultura, então me levou pra conhecer Inhotim, que fica em Brumadinho – depois faço um post especial contando tudo sobre o lugar e a cidade, mas pelas poucas fotos que seguem percebam que é tudo de bom!!

Retornei a Ouro Preto, cidade história importantíssima, que já conhecia, mas é sempre bom passar por lá. Depois desta vez estava apresentando-a ao meu filho!!

Demos um pulo em Mariana, que fica “grudadim” a Ouro Preto!!

E, ainda, fui conhecer Sete Lagoas, terra da cantora Paula Fernandes. A vista é linda!!

Ficamos na casa que meu tio tem em BH e, na maioria dos dias na chácara em Juatuba!! Amo Minas, amo o jeitinho dos mineiros, amo a culinária….enfim, amei tudo. Voltei pra Capela com um gostinho de quero mais!! Quem sabe no ano que vem, né tio?!

Além da viagem aérea, o Beni teve que conhecer o que é viajar de busão…kkkk. No fim de outubro peguei um ônibus e viajei 470km rumo a Mirandópolis, interior de S.Paulo, porém a cidade fica mais perto do Mato Grosso do que da capital. A maior parte dos meus parentes moram lá. Incluindo minha avó e os irmãos do meu pai.

Enfrentando, quase que diariamente um calor de 42°; mesmo tendo os miolos derretendo com o sol, nos divertimos muito!! Também sofremos, visto que no período de uma semana, encaramos 3 funerais e nos alegramos com o casamento do São e da Bruna (o casório foi o motivo da viagem). Nunca vivi uma situação dessas…lembra até o filme que tem um nome parecido. Eu sei que a viagem foi marcada por 1 casamento e 3 funerais. Que coisa, né? Tirando o lado da morte, rever e reencontrar toda a família pra festejar a união de um casal tão lindo foi emocionante e o nosso passei terminou comigo comemorando meu aniversário por lá.

Loquei uma chácara, reuni a família e brindei minhas 33 primaveras!!

Por tudo que aconteceu na minha vida desde que não registro nada por aqui, até hoje aprendi que: “A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é”, Victor Hugo.

Uffa!! Que post gigante, né?! Espero que não tenha sido tão cansativo e chato, desejo que tenham gostado!! Me perdoem por ter ficado tanto tempo ausente. Mas foi uma ausência necessária. Pretendo voltar a postar com mais freqüência. Não garanto que isto acontecerá este ano, devido ao Natal e ao Ano Novo que se aproximam; mas prometo que a partir de 2013 voltarei com pique total!!

Ah! hoje vou montar minha árvore de Natal. Já montou a sua?!

Espero te ver por aqui de novo e conto com os habituais e tão desejados comentários. Adoro quando me escrevem!! Acho que por hoje é isso.

Gente Boa, um beijo enorme no coração de cada um!!
Até o próximo post.

PRATIQUE O DESAPEGO!!

 Gente Boa;
Acabei de receber este texto, de Fernando Pessoa, de uma amiga e decidi dividi-lo com vocês. O texto é bárbaro. Pena que na prática não é tão fácil. Porém, sejamos persistentes e vamos à luta!!

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….

Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora…
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração… e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.

Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.

Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és…

E lembra-te:
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.

SAUDADE…

“Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos, não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento, não saber como frear as lágrimas diante de uma música, não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche”.

Martha Medeiros

REFLEXÃO

PARA BIA

 

Bia, o Beni não está com um pingo de sono aí aproveitei pra ler enquando ele mama, novamente. Detalhe: já passam das 4h da matina…haha!! Me deparei com José Saramago e lembrei-me de você.

“Escrever é traduzir. Mesmo quando estamos utilizando a nossa própria língua. Transportamos o que vemos e o que sentimos para um código convencional de signos, a escrita…

…e deixamos às circunstâncias aos acasos da comunicação e a responsabilidade de fazer chegar à inteligência do leitor, não tanto a integridade da experiência que nos propusemos transmitir,…

…mas uma sombra, ao menos, do que no fundo do nosso espírito sabemos bem ser intraduzível, por exemplo…

…a emoção pura de um encontro, o deslumbramento de uma descoberta, esse instante fugaz de silêncio anterior à palavra que vai ficar na memória como o rasto de um sonho que o tempo não apagará por completo”.

Carinhosamente,
Val