• Guilhoché…

    ...sinto-me como um ornato composto de traços ondeados que se cruzam e entrelaçam com simetria; tentando me redescobrir e me reinventar sem perder a essência. Com essa probidade, quero, aqui, manter em mim esse vento de espírito jovem, essa curiosidade infantil em relação ás coisas, essa espécie de encantamento em relação ao ser humano. Quero crer que somos muito maiores e mais interessantes que as barreiras que o mundo impõe e que os limites que a vida oferece. Acredito na transformação dos sentimentos e no melhor de cada um. Quero que minha inspiração esteja sempre afiada; colocando em harmonia instinto, alma, criatividade, percepção e uma dose de crítica, que pra mim funciona como uma espécie de veneno destilado. De certa forma, viver, também é seguir essa premissa. O veneno que me refiro é aquele acompanhado de uma grande quantidade de conhecimento, que servirá para discernirmos opiniões. Enfim, se você quer se redescobrir e compartilhar instantes, detalhes e informações; venha fazer parte do meu mundo!
  • Categorias

  • Twitter Valéria

    • WWF- Brasil shar.es/15OaIJ 1 year ago
    • Mamãe coruja...to babando!! 6 years ago
    • Gente Boa; só passei pra contar que o bebê é MENINO!! hEHEHE!! Agora, faltam 3 meses e meio...hahaha 6 years ago
    • Estaremos no Politicom com o tema "Marketing político e redes sociais"...hehehe!! 7 years ago
    • "O carvalho não cresce à sombra do cipreste, e o cipreste não consegue crescer à sombra do carvalho"... 7 years ago
  • Face Valéria Amoris

MEUS VOTOS

natal

Gente Boa;

Que os sinos de Natal sejam portadores de alegres esperanças e que o Ano Novo seja repleto de Felicidade!!

Desejo sorte, paz, saúde e prosperidade a todos!!

Até o ano que vem.

Bjs

Anúncios

Quando não há palavras

AMO VOCÊ

DSC07404

Não há palavras
Que possam expressar
A intensidade do amor
Que sinto por você

Queria inventar
Uma palavra inédita e especial
Que pudesse recitar pra você
Em meio a poesias apaixonadas

Enquanto eu não invento essa palavra
Olhe nos meus olhos
Você vai encontrar
Um amor inédito só pra você

Eu te amo,
Mesmo quando não há palavras
Eu te amo,
Mesmo quando não há sorriso

Eu te amo,eu te amo
Eu preciso te dizer
Eu te amo,
Te amo meu amor

De Janeiro a Janeiro

Amor incondicional!!

Amor incondicional!!

Dedico a vocês! Independente do presente. Por todo o SEMPRE!!

Sinto-me exatamente assim…

liberdade

                                                        LIBERDADE E CONTROLE

“EU NÃO SEI VOCÊ, MAS EU FAÇO O TIPO controladora, gosto de estar na regência de tudo o que me cerca, vivo a ilusão de que sem mim as coisas não irão funcionar, me sinto necessária, e isso me agrada e ao mesmo tempo me angustia, gostaria de ser mais relaxada e mais resignada diante da minha falta de controle absoluta: pois é, a gente pensa que tem controle sobre tudo, mas não temos controle sobre nada.

Se você curte se auto-investigar, bem-vindo ao clube.

Passei horas, outro dia, conversando com um amigo sobre este instigante assunto: temos ou não temos controle sobre nossas vidas? Minha tendência é acreditar que há um controle ao menos parcial. Senão vejamos: eu tenho o poder de fazer escolhas. Posso dizer sim ou não, ir para a esquerda ou para a direita. Posso me separar, continuar casada, ter mais um filho, posso mudar a cor do cabelo, posso abandonar o emprego, passar dois meses sozinha numa ilha ou me internar num convento. O que me impede?

Você mesma se impede, responde ele.

Tem razão, o problema é que não somos livres. Eu, ao menos, não acredito em liberdade enquanto houver dependências afetivas. Para ser livres, precisaríamos não manter nenhuma espécie de laço com ninguém, o que é impensável: abrir mão de pai, mãe, irmãos, filhos, amigos, um amor. É um preço alto demais para pagar pelo ir-e-vir. Estou de acordo com um psicanalista que disse que o máximo de liberdade que podemos almejar é escolher a prisão em que queremos viver. Eu escolhi a adorável prisão dos afetos.

Meu amigo considera interessante essa história de escolhermos nossas prisões, mas diz que isso só prova que somos 100% livres. Poderíamos escolher prisão nenhuma, mas nos é intolerável a idéia de viver soltos. Então vamos construindo nossas cercas: uma mãe doente a quem não podemos decepcionar, uma esposa que iria se suicidar se a deixássemos, filhos que iriam ficar traumatizados com nosso divórcio, um emprego ótimo que seria loucura abandonar, enfim, vamos inventando empecilhos para não sair da jaula. A liberdade é desestabilizadora, e queremos tudo, menos a subversão.

Pergunto: que mal há em sermos corretos, em agirmos com decência e discernimento, em não frustrar as expectativas que depositaram em nós?

Mal nenhum, responde meu amigo. É até muito nobre, diga-se. Mas quem inventou as definições de correção e decência? E quanto às suas próprias frustrações, são menos importantes do que as que os outros têm em relação a você?

Pois é, de vez em quando entro em uns debates insanos sobre liberdade e controle, e onde chego com tudo isso? A um papo excitante, o que já é muito. Pensar é um ensaio de liberdade. Que poucos se atrevem, aliás. É o que por hora me permito enquanto eu não for — na prática e às ganhas — totalmente livre”

                                                                Martha Medeiros

OBS.: Raphael, meu seguidor…o cara que anda me inspirando!! Este post dedico a você!! Obrigada por passar por aqui e por meio dos seus recados me trazer de volta ao MUNDO e, mostrar  que o que eu mais gosto de fazer está gritando dentro de mim; necessitando se libertar. Eu precisava: ESCREVER e principalmente VIVER!! Valeu rapaz!!